MPPE promove encontro com associações, pais e sociedade civil para colher demandas sociais sobre pessoas autistas em Pernambuco

04/04/2023 - Em função do Dia Internacional de Conscientização do Autismo, celebrado no último dia 2 de abril, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio dos Centros de Apoio Operacional de Defesa da Educação (CAO Educação), da Saúde (CAO Saúde) e da Cidadania (CAO Cidadania), promoveu, nesta segunda-feira (03), o encontro “Diálogos sobre as principais demandas sociais das pessoas autistas em Pernambuco”. A ação ocorreu no auditório da Escola Superior da Instituição e teve transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da ESMP, com interpretação simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O objetivo da iniciativa foi ouvir as principais reivindicações dentro das necessidades envolvendo a atenção e o apoio devido às famílias e às pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), no que tange às áreas de Educação, Saúde e Cidadania, além de promover a interlocução com outros órgãos,  favorecendo a inclusão social no Estado de Pernambuco. “Nosso papel hoje aqui, foi o de atuarmos apenas como ouvintes. A partir desta escuta, vamos verificar como poderemos, enquanto coordenadores de Centros de Apoio, auxiliar os promotores de Justiça, em cada área aqui tratada, Neste caso, os de educação, saúde e cidadania, a planejar ações para dar suporte às demandas apresentadas, disseminadas para todo o Estado”, explicou a Promotora de Justiça e Coordenadora do CAO Educação, Isabela Bandeira.

“Nós precisamos proporcionar a essas pessoas a efetivação do direito humano à inclusão. A capacidade e a possibilidade de viver em ambientes e em contextos sociais; que a sua diferença não seja uma barreira nem física, nem atitudinal para que ela possa se integrar de maneira mais profunda possível naquela comunidade. E cabe ao Ministério Público, através dessas escutas, dos seus Centros de Apoio Operacional, junto às Promotorias de Justiça e demais órgãos de execução, promover as medidas necessárias para efetivação desse direito”, pontuou o Promotor de Justiça e Coordenador do CAO Cidadania, Fabiano Pessoa.

“Não existe cidadania sem educação. Não existe saúde sem cidadania. Essas áreas precisam trabalhar de forma articulada, de forma que as pessoas que têm o Transtorno do Espectro Autista consigam ter atendidos os seus pleitos nessas diversas áreas que se interrelacionam. Então, é preciso que atuemos de forma conjunta, esses três CAOs, para garantir de uma forma plena assistência à saúde as pessoas com TEA”, pontuou a Promotora de Justiça e Coordenadora do CAO Saúde, Helena Capela.


A maior parte das demandas apresentadas envolviam problemas nas áreas da educação e saúde, como: a falta de formação continuada para profissionais da educação; ausência de presença da disciplina de Libras para autistas; ausência de chamadas salas de Acompanhante de Educação Especializada (AEE); necessidade da formação de profissionais especialistas em comunicação alternativa para autistas não verbais (Pecs); necessidade da criação  Centros unidades para atendimento a autistas; falta por parte dos centros de ensino do Projeto Político Pedagógico (PPP), entre outros. Já na parte de saúde, as queixas se resumiram na falta de acompanhamento multidisciplinares, a partir da presença de profissionais como fonoaudiologistas; neurologistas; psiquiatras; psicopedagogos. Além disso, também foi citada a falta de apoio aos profissionais que atuam como cuidadores.

“Acredito que, antes de mais nada, para que se possam criar políticas públicas para os autistas, seria necessário, primeiramente, dar visibilidade a eles. Ou seja, é preciso se fazer um censo demográfico da população autista. É preciso enxergar que, nos últimos anos, cresceu o número de crianças nascidas com autismo. Então, é preciso conhecer a população autista, a sua presença, para aí sim pensar e executar essas políticas”, frisou Rivânia Silvia de Andrade, da Associação Mães Azuis de Moreno (AMA).

“Nosso grito tem que ser ouvido pelos poderes públicos. Tenho dois filhos com autismo com suporte 2 e 3, e até hoje estou atrás de uma vaga em uma creche para minha filha. Meu filho está aguardando há três anos por uma Terapia Ocupacional, à espera de uma fonoaudióloga. É preciso que sejam criados centros de atendimento multidisciplinar para nossos filhos. Os Caps não são lugar para atendimento deles”, queixou-se a professora Cleidevania Cavalcante.

Encontro debate demandas para autistas

Últimas Notícias


EM JUNHO
Promotorias da Saúde convocam audiência pública para tratar de grandes hospitais do Recife
Audiência visa discutir questões referentes à falta de medicamentos, insumos e materiais, superlotação nas unidades de saúde e às filas de espera para cirurgias eletivas.

29/05/2024 - As 11ª e 34ª Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), com atuação na Defesa da Saúde, anunciam que está marcada para o dia 11 de junho, a partir das 13h, audiência pública para dar continuidade aos trabalhos de acompanhamento dos serviços prestados pela rede estadual do Sistema Único de Saúde (SUS), em especial nos hospitais da Restauração, Barão de Lucena, Otávio de Freitas, Getúlio Vargas e Agamenon Magalhães. A audiência visa discutir, dentre outros temas, questões referentes à falta de medicamentos, insumos e materiais, superlotação nas unidades de saúde e às filas de espera para cirurgias eletivas. 

Convocada pelas Promotoras de Justiça Eleonora Marise Silva Rodrigues (11ª Promotoria) e Helena Capela (34ª Promotoria), a audiência pública busca retomar e desdobrar os pontos estabelecidos em evento prévio, que aconteceu no dia 4 de março, ocasião em que a Secretaria Estadual de Saúde (SES/PE) firmou compromisso de apresentar, nesta nova audiência, o desenho da rede com a definição do perfil dos pacientes a serem atendidos em cada uma das unidades de saúde mencionadas.

A SES/PE comprometeu-se também a apresentar cronograma para início de obras e reformas dos hospitais, além de previsão de abertura de novos leitos de retaguarda nas especialidades de Neurologia, Cardiologia, Urologia, Vascular e Ortopedia. 

Foram convocados a participar da audiência, na condição de expositores, as Secretarias Estaduais de Saúde e de Administração, além dos diretores desses grandes hospitais da rede estadual que são objeto da audiência.

Serão também convidados para participação na audiência pública o Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco (CREMEPE), o Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (COREN) , o Conselho Estadual de Saúde - CES, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Primeira Região (CREFITO 1), o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (SIMEPE), Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Pernambuco (SEEPE), o Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco (SATENPE), Defensoria Pública do Estado de Pernambuco e o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A audiência será realizada no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE), situado na Rua do Imperador Pedro II, 346, Santo Antônio - Recife. Os interessados em participar do ato devem se inscrever por meio do formulário já disponível em: https://forms.gle/a1coCgNusVxZS4op7 ou, presencialmente, no dia do evento, mediante prévia identificação, respeitado o limite de vagas do auditório onde será realizada a audiência pública.

ESTÁGIO NO MPPE
Listas de aprovados foram publicadas hoje; candidatos devem atentar para datas de entrega da documentação
Estudantes devem providenciar documentação para as próximas etapas previstas no cronograma das seleções.

29/05/2024 - O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) divulgou hoje (29) a relação dos candidatos aprovados nas seleções do Programa de Estágio de Nível Universitário e Médio (PENUM/MPPE). As listas com os nomes dos aprovados na seleção para estudantes de Direito e para as demais graduações já estão disponíveis no site do Instituto Sustente, organizadora do certame, e no Diário Oficial Eletrônico de hoje.

Após a publicação dos aprovados, a Escola Superior do MPPE avisa aos estudantes que providenciem sua documentação para as próximas etapas previstas no cronograma das seleções (veja abaixo). Em caso de dúvidas, os candidatos podem entrar em contato através do e-mail estagio@mppe.mp.br.


ATÉ 04/06 TODOS CANDIDATOS DEVEM:

Acessar o site do Instituto Sustente e fazer upload de cópias digitais no formato PDF dos seguintes documentos:

  • - RG frente e verso;
  • - CPF;
  • - carteira de reservista (apenas para homens com mais de 18 anos);
  • - comprovante de quitação com as obrigações eleitorais (apenas para maiores de 18 anos);
  • - comprovante de matrícula no 5º período do curso de Direito ou 4º período dos demais cursos administrativos;
  • - atestado de saúde ocupacional, no qual deve constar o CPF do candidato;
  • - comprovante de residência; formulário de dados cadastrais preenchido pelo candidato (disponível no Anexo VII do edital);
  • - formulário de declaração de vínculo empregatício/estágio preenchido pelo candidato (disponível no Anexo IX do edital);
  • - formulário de solicitação de auxílio-transporte preenchido pelo candidato (disponível no Anexo X do edital);


ATÉ 04/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS DEVEM:

Acessar o site do Instituto Sustente e baixar o modelo do Termo de Compromisso de Estágio para:

  • - preencher o termo com seus dados pessoais;
  • - consultar as orientações de como informar no termo o início e término do estágio;
  • - confirmar ou atualizar no termo os dados da sua instituição de ensino;
  • - ao fim do preenchimento, imprimir três vias do termo e assiná-las;


EM 07/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS DEVEM:

  • - Comparecer pessoalmente ao local indicado no Anexo I-B do edital para entregar as três vias assinadas do termo de compromisso de estágio e apresentar as versões originais dos documentos enviados pelo site do Instituto Sustente;
  • - Escolher a lotação do estágio, quando for o caso;
     

EM 17/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS PARA ESTÁGIO EM DIREITO NA CAPITAL DEVEM:

Comparecer à Escola Superior do MPPE para:

  • - receber o termo de compromisso de estágio assinado pelo MPPE;
  • - receber informações sobre o estágio;
  • - receber o expediente de lotação com base na sua escolha;


EM 18/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS PARA ESTÁGIO EM DIREITO NA REGIÃO METROPOLITANA OU INTERIOR DEVEM:

Comparecer à sua localidade de estágio para:

  • - receber o termo de compromisso de estágio assinado pelo MPPE;
  • - receber informações sobre o estágio;
     

EM 19/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS PARA ESTÁGIO EM CURSOS ADMINISTRATIVOS NA REGIÃO METROPOLITANA OU INTERIOR DEVEM:

Comparecer à sua localidade de estágio para:

  • - receber o termo de compromisso de estágio assinado pelo MPPE;
  • - receber informações sobre o estágio;


EM 21/06 OS CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS PARA ESTÁGIO EM CURSOS ADMINISTRATIVOS NA CAPITAL DEVEM:

Comparecer à Escola Superior do MPPE para:

  • - receber o termo de compromisso de estágio assinado pelo MPPE;
  • - receber informações sobre o estágio;
  • - receber o expediente de lotação com base na sua escolha;
     

EM 1º/07 ESTÁ PREVISTO O INÍCIO DO ESTÁGIO PARA OS CANDIDATOS CONVOCADOS QUE CUMPRIREM TODAS AS ETAPAS DESCRITAS ACIMA.

PETROLINA
CAO Cidadania discute ações integradas para proteção e garantia dos direitos humanos
Evento deu continuidade às atividades do CAO Cidadania na construção de uma ação institucional articulada para defesa dos direitos humanos.

29/05/2024 - O Centro de Apoio Operacional de Defesa da Cidadania (CAO Cidadania) realizou nos últimos dias 16 e 17 de maio, na sede das Promotorias de Justiça de Petrolina, um encontro com Promotores e Promotoras de Justiça da 2ª Circunscrição Ministerial para discutir ações integradas no campo de proteção e garantia dos direitos humanos. Levou em consideração a necessidade de interseção e integração da defesa da cidadania com as demais áreas de atuação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O evento deu continuidade às atividades do CAO Cidadania na construção de uma ação institucional articulada para defesa dos direitos humanos, baseada nos objetivos fixados no Plano de Ação Institucional para o biênio 2023-2024, nesta área e com esse objetivo. 

O tema do encontro, que reuniu membros das Promotorias da região, foi "O Ministério Público de Pernambuco e os desafios institucionais para a construção de uma atuação integrada na promoção dos direitos humanos e na defesa da cidadania: um objetivo a ser alcançado". Foi discutido o papel do MPPE no âmbito da proteção e garantia dos direitos humanos e a necessidade de integração, para que a atuação se dê de forma sistemática e articulada, desde a proteção e garantia na tutela da cidadania, passando pelas áreas correlatas que se façam necessárias para proteção sistemática e adequada a quem se encontre em situação de violação dos seus direitos e garantias fundamentais, seja por meio da atuação no campo cível, da infância e juventude e também, quando necessário, pelo da proteção da atuação criminal.

Destacou-se a importância da abertura e aproximação do MPPE com a sociedade, por meio de ações institucionais como os "Encontros dos Movimentos Sociais com o MPPE", a partir dos quais foi elaborada a iniciativa "Escuta Social e Diagnósticos", cujo resultado encontra-se em permanente atualização por meio do "Catálogo das Demandas Apresentadas pelos Movimentos Sociais ao MPPE", disponibilizado no site da instituição. 

Foram apresentados projetos desenvolvidas pelo CAO Cidadania, entre eles o "Terra e teto: Lar de direitos" (atua em parceria com o CAO Meio Ambiente, na busca de garantir uma ação integrada das diversas áreas do MPPE, no enfrentamento à violência e os conflitos existentes no campo e na cidade, tendo como pano de fundo o direito ao acesso à terra e à moradia), o "MP Antidiscriminatório" (busca impulsionar a atuação integrada do MPPE no combate às violações de direitos fundamentais e na estruturação de uma rede de proteção de direitos a grupos historicamente excluídos e vulnerabilizados, como população negra, comunidade LGBTQIAPN+, mulheres, pessoas com deficiência e população em situação de rua dentre outras) e o "MP SUAS" (garantir o reforço da rede de proteção a direitos fundamentais e fazer mapeamento e produção de diagnóstico das condições do Sistema Único de Assistência Social-SUAS em Pernambuco e, a partir do levantamento, promover ações voltadas ao fortalecimento e estruturação do sistema). 

Foi apresentada, ainda, a atuação do CAO Cidadania, em conjunto com o CAO Controle Externo e Defesa Social, por meio do "Monitoramento de Violações aos Direitos Humanos no Sistema Prisional". A iniciativa busca o acompanhamento sistemático e periódico das questões relativas ao sistema prisional de Pernambuco com o fim de promover os diagnósticos e intervenções necessárias, integrando órgãos de execução com atuação nas searas da execução penal e da cidadania, para superação dos desafios para a segurança pública e para a garantia dos direitos humanos. 

Por fim foram mostradas ações desenvolvidas pelos núcleos integrantes do CAO Cidadania: projetos "Identidades" e "Direitos LGBTQIAPN+ nos Municípios", do Núcleo de Direitos LGBT (NDLGBT); o "Atitudes" e "Direitos das Pessoas com Deficiência nos Municípios", do Núcleo da Pessoa com Deficiência (NPCD), cujos focos são a construção de uma rede local de proteção de direitos e a disseminação de informações de qualidade sobre as diversas formas de expressão da diversidade sexual, por um lado, e das diferentes condições e desafios das pessoas com deficiência, por outro, como meio superar obstáculos e garantir uma vida mais digna para quem tem constantemente sua dignidade violada, seja pela desinformação ou pelos preconceitos.

Roberto Lyra - Edifício Sede / Ministério Público de Pernambuco

R. Imperador Dom Pedro II, 473 - Santo Antônio CEP 50.010-240 - Recife / PE

CNPJ: 24.417.065/0001-03 / Telefone: (81) 3182-7000